Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]




AVISO RALLY SERRAS DE FAFE | CORTE AO TRÂNSITO

por JORNALdeFAFE, em 15.02.17

Rali de Portugal.jpg

Foto DR

Informamos que a EN311, no Confurco, estará cortada ao trânsito:
Sábado, 18 Fevereiro – entre as 13h50 e as 19h00
Domingo, 19 Fevereiro – entre as 8h30 e as 12h30

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:40

16711774_577029135821914_7441167229798278289_n.jpg

COMUNICADO

 

O Secretariado do PS-Fafe, na decorrência de anteriores comunicações públicas, vem tornar público o seguinte:
1-Tendo há cerca de mês e meio solicitado uma reunião com o nosso secretário-geral, sem que tal tenha sido concedido;
2-Tendo-se,em conformidade, anunciado a nossa firme intenção de impugnar a decisão da Comissão Política Nacional de avocação do processo eleitoral autárquico de Fafe, caso essa reunião não acontecesse ou fosse inconsequente;
3-Tornamos hoje público que a referida impugnação dará hoje entrada na sede nacional, dirigida à Comissão Nacional de Jurisdição (órgão da justiça interno), com os fundamentos da sua ilegalidade e mesmo inconstitucionalidade, pelo que deve ser por si anulada.
4-Reclamamos a maior celeridade na sua apreciação e julgamento, por forma a não prejudicar ulteriores desenvolvimentos deste processo.
5-Aproveitamos este ensejo para, igualmente, tornar público, que demos oportunamente conhecimento desta impugnação à secretária-geral-adjunta, bem como, recentemente, ao nosso secretário-geral.
6-Esclarecemos ainda que, por nossa iniciativa e persistência, ocorreu um encontro entre o Presidente da Comissão Política, o Presidente da Federação e o secretário-geral, na passada 5ªfeira, em Pevidém, num jantar de autarcas, donde saiu o compromisso do secretário-geral da promoção breve de uma reunião com as partes interessadas.
7-Reiteramos,uma vez mais, apesar de mantermos total abertura para o diálogo e procura de soluções, a nossa firme determinação de fazer cumprir a decisão da CP/Fafe, de 17/12/16 e levar até às urnas a candidatura do camarada Antero Barbosa.

Fafe,13 fevereiro de 2017

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 15:44

JoséManuelFernandes - EP1.jpg

 

Eurodeputado Francisco Assis faz apresentação da obra que José Manuel Fernandes dedica anualmente a assuntos europeus e ao Minho

 

Os novos grandes desafios da União Europeia e o ‘Plano Juncker’, a par de uma visão sobre a realidade da região, são os temas centrais da publicação “Pela Nossa Terra – Minho 2017”, da autoria do eurodeputado José Manuel Fernandes, que é apresentada publicamente na próxima sexta-feira, dia 17, a partir das 18h30, na Casa das Artes, em Vila Nova de Famalicão.

No evento que conta com a participação do presidente da Câmara de Vila Nova de Famalicão, Paulo Cunha, a apresentação da publicação está a cargo do deputado ao Parlamento Europeu e cabeça-de-lista do PS nas últimas eleições europeias, Francisco Assis.

Com a concretização desta publicação "Pela Nossa Terra - Minho 2017", José Manuel Fernandes sublinha a convicção de que “é com cidadãos informados, envolvidos e empenhados que podemos aproveitar as oportunidades, vencer os desafios e aspirar à construção de um presente mais justo, sustentável e capaz de garantir um melhor futuro”.

Ao longo das 288 páginas da publicação, o autor assume o objetivo de “disponibilizar informação, suscitar o interesse e provocar a reflexão sobre matérias relevantes para a atualidade da União Europeia e da nossa região”. Entre os temas europeus focados estão o caso do Brexit e as suas implicações, o Fundo Europeu para Investimentos Estratégicos(FEIE) – o chamado 'Plano Juncker' – e a realidade orçamental da UE.

Numa altura em que – como refere o autor na obra – “atingimos o ‘pico’ do movimento global nacionalista” e em que “o mundo está cada vez mais imprevisível e perigoso”, José Manuel Fernandes avisa que este “este é o momento da UE unir-se”.

Relator do Parlamento Europeu para o reforço do FEIE, o eurodeputado aponta o 'Plano Juncker' como “um exemplo objetivo da capacidade da União Europeia em encontrar respostas e mecanismos comuns para superar as dificuldades”. E destaca a “oportunidade” que este fundo “representa para Portugal e para a região do Minho”, onde tem “incentivado a união de vontades e a parceria de projetos e candidaturas”.

Nesta publicação - que fornece informação sobre todos os concelhos e freguesias do Minho, incluindo os autarcas do município e os presidentes de Junta -, são ainda citados números sobre a imigração nos concelhos e atividades ligadas ao setor da construção no Minho, onde a diminuição de procura ao nível da habitação familiar se tem verificado de uma forma generalizada nas nossas freguesias.

Relativamente às informações sobre o Minho, ressalta que os números do INE sobre o envelhecimento da população e a diminuição demográfica, “dois grandes desafios que a Europa e Portugal enfrentam e aos quais a Estratégia Europa 2020 procura também dar resposta”, abrange “de forma transversal concelhos mais urbanos e mais rurais”. Em quatro anos, o Minho perdeu quase 20 mil pessoas entre a população residente, sendo o fenómeno agravado pela baixa natalidade. A imigração também não ajudou a travar o fenómeno de perda de população no Minho, com o número de estrangeiros que pedem residência na região a cair.

Nesta publicação de edição anual - e que no Minho foi lançada em 2011, sendo esta a sétima edição –, são igualmente partilhadas informações de agenda e respetiva calendarização, onde se incluem as festas e romarias da região, as comemorações dos dias internacionais e citações de diferentes autores, juntamente com definições do "Dicionário de Termos Europeus" - uma obra em permanente atualização e que é coordenada pelo também eurodeputado socialdemocrata Carlos Coelho.

 

Outras publicações

Refira-se ainda que o lançamento desta obra “Pela Nossa Terra – Minho 2017” marca o arranque de um conjunto de três apresentações públicas de obras assinadas pelo eurodeputado José Manuel Fernandes

Para o próximo dia 22 está agendada a apresentação do livro “A Economia Social em Portugal”, uma obra editada e coordenada por José Manuel Fernandes e que aborda “necessidades, perspetivas e fontes de financiamento para as instituições de solidariedade social”, contando também com contributos de vários co-autores: Eduardo Graça, Jorge Sá, Filipe Simões dos Santos, Carlos Azevedo, Miguel Alves Martins, Luís Alberto Silva, Filipa Pires de Almeida, Manuel Lemos e Lino Maia. A apresentação terá lugar às 18h00, na Santa Casa da Misericórdia do Porto, e estará a cargo do eurodeputado Paulo Rangel e do comissário europeu Carlos Moedas.

Da autoria do eurodeputado é ainda a publicação “Pela Nossa Terra – Trás-os-Montes 2017”, uma obra desenvolvida nos moldes da edição dedicada ao Minho, mas dedicada aos distritos de Bragança e Vila Real, que será apresentada no próximo dia 24, em Vimioso.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:28

coligação2017.jpg

Raul Cunha não pode aceitar a demissão dos Vereadores do PSD

 

É mesmo o interesse de Fafe que está em causa?

 

O meu último artigo “Fafe precisa de outras políticas” não foi mais do que uma análise aos jogos de bastidores que estão a acontecer e que fazem as delícias novelísticas de qualquer espetador. Cheguei a comentar que só voltava à política mais ativa no dia a seguir às próximas autárquicas, mas não me poderei demitir dos meus deveres cívicos enquanto cidadão fafense.

Ao contrário de toda a gente, parece-me, não concordo em nada com um final de mandato sem uma coligação firme e coesa. Ora vamos lá refletir:

1 – Raúl Cunha estabeleceu uma coligação com o PSD para garantir estabilidade (eu fui contra na altura);

2 – As relações correram bem e é reconhecido por toda a gente que a Câmara foi aberta finalmente às pessoas;

3 – Numa altura em que se fala em novas eleições, depois das guerras do PS, Raúl Cunha faz um acordo com os Independentes para conseguir ter suporte para ir a eleições;

4 – O PSD revela que já havia um acordo com os Independentes;

5 – Vereadores do PSD pedem demissão (o caminho mais óbvio e acertado, mas deve ser ponderado, afinal, os Vereadores fizeram a diferença, ainda que mesmo nos seus pelouros haja muito a fazer. Por exemplo, as pessoas pedem uma licença e em vez de chegar a autorização, aparece uma carta/ofício do Vereador a dizer que está no engenheiro, mas as pessoas só querem o veredito e não burocracias… logo, é preciso levar tudo até ao final. Em Cantanhede uma licença só demora 1 mês e não 10 como em Fafe);

6 – Parcídio fala que pensava que era para se manter um acordo com a coligação na intervenção na última reunião da Câmara;

7 – Raúl Cunha se teve um mandato tranquilo, deve-se em muito à lealdade e trabalho dos elementos do PSD;

8 – Para o melhor para Fafe, metam-se as mãos às consciências, Raúl Cunha tem de segurar os elementos do PSD até ao fim, até porque esse é um compromisso com Fafe;

9 – Se o objetivo é mesmo Fafe, Raúl Cunha tem de convidar e incluir o PSD neste acordo a apresentar-se às próximas eleições;

10 – Uma proposta de lista:

1-      Raúl Cunha

2-      Parcídio Summavielle

3-      (Vereadora?)

4-      José Baptista

 

Nota: As eleições não estão ganhas. Todos devem limar as crispações de última hora e concentrar-se em Fafe. Se não conseguirem, demitam-se todos. Fafe tem de estar em primeiro!

Pedro Sousa

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:09

O grupo parlamentar do PSD apresentou, na Assembleia da República, um projeto de resolução sobre a poluição do rio Vizela em que pede o “mapeamento das situações mais problemáticas, com toda a informação necessária e o levantamento e verificação das condições de licenciamento e de laboração de todas as empresas, indústrias e explorações agropecuárias, cuja laboração implique a descarga de efluentes para o rio”.

Subscrito por 20 deputados, entre os quais os eleitos pelo círculo de Braga, o documento pede a intensificação das ações de fiscalização, vigilância e monitorização do rio e a implementação de um plano de ação para limpeza desta linha de água.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 14:22

16508856_1742733919085390_1325070060869471821_n.jp

 Fafe 1 - 2 Olhanense

16640578_1742734052418710_4297463783514293499_n.jp

 Fotos de Jesus Martinho

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:41


Tiroteio em Arões provoca um ferido ligeiro

por JORNALdeFAFE, em 11.02.17

fafetv.bmp

A FafeTv informa que na base desta situação está uma zanga de namorados.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:

publicado às 14:51

14642109_1336138186426938_4774836167561449878_n.jp

O JORNALdeFAFE foi investigar à página de facebook dos Independentes por Fafe e deixa os textos lá publicados que merecem reflexão:

 

22/11/2016

OLHA QUEM FALA!
Na sua ancestral existência, a sabedoria popular ensinou-nos que o tempo faz-nos esquecer. Na realidade o tempo vai passando e relegando para as calendas gregas aqueles espaços de tempo que não convém recordar. E como o tempo que vai passando nos aproxima das eleições autárquicas, redobram as tarefas na adivinhação sobre os candidatos que estarão em disputa eleitoral e até sobre possíveis ou impossíveis coligações.
Vem isto a propósito de um artigo de opinião (política) publicado no Notícias de Fafe de 4 de Outubro p.p., sob o título “SALADA DE FRUTA”, da autoria do presidente da Juventude Socialista de Fafe.
Lia-se no último parágrafo do citado artigo de opinião: “Finalmente, e não menosprezando o que se vai escutando na praça, parece que em cima da mesa está, ou esteve, um entendimento entre os IPF e PSD, para juntos irem em coligados nas eleições autárquicas que se avizinham. Uma salada de fruta de todo o tamanho que nem o maior apreciador de tão clássica sobremesa deve conseguir digerir”.

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 23:40

532324_696225100443691_739647148008396054_n.jpgCaros amigos, foi para mim uma enorme honra e orgulho, ao longo dos últimos 38 meses enquanto vereador com funções executivas ter servido Fafe e os Fafenses. Fi-lo sempre defendendo os valores mais nobres da política, a ética, a moral e a equidade. Sempre com sentido de missão e de total despreendimento aos lugares.

Durante este período cumprimos com lealdade o acordo de coligação firmado com o Partido Socialista em 2013, tendo garantido a estabilidade da governação autárquica, permitindo desta forma que este fosse um mandato muito positivo para Fafe. Não fomos nós que criámos as condições para que o atual cenário acontecesse, outros o fizeram de forma traiçoeira e no momento certo serão responsabilizados e sufragados por isso.
Em coerência com os valores que defendemos, não poderíamos pactuar com o novo cenário político criado pela coligação Raul Cunha/Parcidio Summavielle, entendendo nós que neste contexto a governabilidade do município terá de ser garantida agora por eles.
Assim, hoje mesmo, entreguei ao Sr. Presidente da Câmara o meu pedido de demissão do executivo municipal. Fi-lo em coerência com os valores que defendo e que não são compatíveis, antes antagónicos aos daqueles que agora ingressam no executivo.
Gostaria de agradecer a todos os que comigo de alguma forma colaboraram e permitiram que muitas das nossas propostas e projetos tivessem sido implementados para o bem de Fafe. Continuaremos disponíveis para no clima de proximidade que nos carateriza, ouvir e ajudar todos os que de nós precisarem.
Bem hajam!

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 20:26


Biblioteca Pública de Braga evoca Mário Soares

por JORNALdeFAFE, em 09.02.17

Entrada da exposição.JPG

A Biblioteca Pública de Braga (BPB) tem patente até 10 de março uma exposição dedicada a Mário Soares, com uma centena de obras sobre este político ímpar do Portugal democrático, recentemente falecido. A mostra tem entrada livre todos os dias úteis, das 9h00-12h30 e 14h00-17h30, e insere-se no 175º aniversário da BPB, uma unidade cultural da Universidade do Minho.

 A exibição tem vários núcleos temáticos, nomeadamente livros do autor (como "Portugal Amordaçado" ou "A Crise. E Agora"), obras que coordenou e prefaciou, ensaios, cartas, compêndios de intervenções e de entrevistas, reportagens das campanhas, cartoons, referências enciclopédicas e artigos da imprensa alusivos aos principais momentos do seu percurso.

 Mário Soares (1924-2017) esteve nas grandes mudanças político-sociais das últimas décadas em Portugal, em especial na oposição ao Estado Novo, na afirmação da democracia após o 25 de Abril e na adesão à CEE. Licenciado em Ciências Histórico-Filosóficas e em Direito, foi detido 12 vezes, deportado para São Tomé e exilado na França. Mais tarde, o cofundador do PS chegou a primeiro-ministro, a Presidente da República e quase presidiu o Parlamento Europeu. Colaborou em publicações como Seara NovaO Tempo e o ModoVisãoDNEl Pais. Criou a Fundação Mário Soares, recebeu diversas condecorações, graus honoris causa e ocupou inúmeros cargos.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:

publicado às 20:08



Like box


Mais sobre mim

foto do autor




calendário

Fevereiro 2017

D S T Q Q S S
1234
567891011
12131415161718
19202122232425
262728

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D


subscrever feeds






Blogs Portugal