Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



image002.jpg

 

Foi assinado, esta manhã, 19 de janeiro, o Protocolo de Cooperação entre a ANQEP – Agência Nacional para a Qualificação e o Ensino Profissional e a Comunidade Intermunicipal do Ave. A assinatura foi realizada pelo Presidente da CIM do Ave, Manuel Baptista e pelo Dr. Gonçalo Xufre Silva, Presidente do Conselho Diretivo da Agência Nacional para a Qualificação e o Ensino Profissional.

O Protocolo, assinado no Agrupamento de Escolas D. Sancho I, em Vila Nova de Famalicão, formaliza a cooperação entre a CIM do Ave e a ANQEP, com o objetivo de criar um benefício recíproco das potencialidades e complementaridade das atividades, no sentido de contribuir para a redução do défice de qualificação e certificação da população local e promover a sua empregabilidade, particularmente na população ativa.

 

As prioridades desta parceria passam pela: divulgação e promoção da Rede de CQEP da CIM do Ave; pela capacitação e envolvimento dos agentes da Rede de CQEP da CIM Ave para a concertação de práticas e metedologias de trabalho; o desenvolvimento de estudos e avaliação –Diagnóstico de Necessidades de Formação; e pela dinamização de iniciativas conjuntas.

 

image003.jpg

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:07

tn-zb.jpg

 Rp - Veja as fotos em Zona Bowling Fafe

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:

publicado às 14:43

image001.jpg

Esta quarta-feira, 21 de janeiro, às 22h00, o Grande Auditório do Centro Cultural Vila Flor acolhe a conceituada companhia belga les ballets C de la B. Alain Platel, criador já bem conhecido do público do CCVF, volta de novo a Guimarães agora com “tauberbach”, uma visão inquietante sobre o mundo e sobre nós.

 

Em “tauberbach”, Alain Platel vai buscar inspiração aos trabalhos de outros dois artistas: o documentário Estamira, de Marco Prado, que dá corpo a este espetáculo, e Tauber Bach, parte de um projeto do artista polaco Arthur Zmijewski em que um coro de crianças surdas cantam Bach. O resultado é um perturbante espetáculo com seis artistas em palco, um deles português (Romeu Runa), numa peça que se metamorfoseia entre a dança e o teatro num cenário decadente que nos remete para uma lixeira.

 

Estes dois projetos que inspiraram a peça que visita agora o Centro Cultural Vila Flor vão de encontro a um tema que tanto apraz a Platel, a decadência. Platel, como ninguém, ouve beleza na cacofonia, da mesma maneira que encontra beleza no que comummente percecionamos como feio, desviante, discordante, no que muitas vezes vemos como uma doença. A figura central de “tauberbach” é interpretada por Elsie de Brauw que veste a pele de Estamira, uma mulher que sofre de esquizofrenia e que vive e trabalha num depósito de lixo. Ela vai partilhando a sua visão do mundo e do homem por detrás de um olhar que não é o nosso, contudo não é menos verdadeiro do que o nosso.

 

Devido à doença mental de que sofria, Estamira torna-se uma figura extremamente carismática, com perspetivas filosóficas muito densas e com uma interpretação muito peculiar do mundo e das coisas. Por baixo das suas alucinações descansa um entendimento dos seus próprios traumas e uma forte lógica sobre si mesma. Na peça, as observações que a personagem principal nos oferece surgem fragmentadas e sugerem-nos vislumbres da verdade. Encontramo-nos assim num universo completamente diferente, num cenário apocalíptico, onde movimentos absurdos nos dão uma vaga reminiscência de uma sociedade há muito perdida, onde o coro de Bach e algumas peças de Mozart são as únicas réstias de alguma coerência.

 

“tauberbach” é, por isso, uma peça que nos impele à reflexão sobre onde vivemos e como vivemos, sobre como vemos o outro. Porque as nossas diferenças são, no fundo, aquilo que nos une e é com visões diferentes que enxergamos mais mundo. Sem dúvida uma oportunidade imperdível de rever uma companhia e um criador que têm sido acarinhados pelo público do CCVF e que já nos presentearam com espetáculos magníficos como “Gardenia” (2011) e “Out of Context – For Pina” (2010).

 

Os bilhetes para o espetáculo podem ser adquiridos na bilheteira do Centro Cultural Vila Flor e da Plataforma das Artes e da Criatividade, Lojas Fnac, El Corte Inglés, Worten, entidades aderentes da Bilheteira Online, e via online em www.ccvf.pt e oficina.bilheteiraonline.pt.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 13:27


Like box


Mais sobre mim

foto do autor




calendário

Janeiro 2015

D S T Q Q S S
123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D


subscrever feeds