Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Programa.png

O CVR - Centro para a Valorização de Resíduos da Universidade do Minho está a valorizar a casca de ovo para tratar efluentes contaminados. O projeto vai ser divulgado pelo investigador André Ribeiro esta sexta-feira, às 10h30, no CVR, situado no campus de Azurém, em Guimarães. A sessão insere-se na “Jornada sobre Valorização de Resíduos da Indústria Agroalimentar”, do projeto Provalue, que junta o conhecimento tecnológico e as pequenas e médias empresas (PME) do sudoeste europeu, para encontrar novas formas de rentabilizar aquele tipo de resíduos.

 

O CVR partiu para o estudo de caso das empresas avícolas do sudoeste europeu, que produzem uma grande quantidade de resíduos. A casca de ovo é, aliás, considerada resíduo perigoso, cuja deposição em aterro ascende a mais de 100 euros por tonelada. “Utilizamos uma metodologia que permite haver uma separação entre as frações inorgânica e orgânica da casca do ovo, ou seja, a fração inorgânica foi utilizada neste estudo no intuito de descontaminar efluentes líquidos e a parte orgânica poderá ser utilizada na expetativa de obter produtos de alto valor acrescentado, como o colagénio para a indústria cosmética e alimentar”, explica André Ribeiro.

 

Nos testes em efluentes de anodização, contaminados com alumínio, obteve-se “resultados muito promissores” e que poderão ser aplicados numa escala maior, nomeadamente nas ETAR (estações de tratamento de águas residuais). “Os modelos de investigação permitiram provar a viabilidade técnica da utilização da casca de ovo em processos de adsorção e descontaminação de efluentes. Além disso, propomos que a casca de ovo possa vir a substituir o carvão ativado, que é usado mundialmente nestes processos, mas que apresenta custos bastante elevados”, assinala André Ribeiro. O CVR está precisamente a ultimar a validação económica do estudo. “Este é mais um exemplo claro da forte ligação do CVR e da UMinho ao mercado”, acrescenta o investigador.

 

Valorizar subprodutos para obter energia e compostos cosméticos e alimentares

 

A “Jornada sobre Valorização de Resíduos da Indústria Agroalimentar” decorre das 10h00 às 12h30 no CVR. Conta com as intervenções de Joana Carvalho e André Ribeiro, do CVR, Celine Mathieu, do Centro de Recursos Tecnológicos (França), e, em representação da Espanha, Inés del Campo, do Centro Nacional de Energias Renováveis, Gemma Villorbina, da Universidade de Leida, Carmen Capiscol, da Fundação Citoliva, e Bruno Iñarra, da Fundação AZTI. A valorização de subprodutos para obter energia e compostos alimentares ou de cosmética são alguns dos temas em análise. A entrada é gratuita, mediante inscrição para 253510027 ou jcarvalho@cvresiduos.pt.

 

O projeto Provalue, cofinanciado pelo FEDER e Interreg IV-B, pretende criar um Polo de Excelência para a valorização de resíduos agroalimentares no sudoeste europeu, agregando os principais centros de I&D e a indústria e ainda ligando-se a outros Polos internacionais, além de difundir as melhores soluções disponíveis, aumentando a competitividade das PME do setor. O site oficial é www.provalueproject.eu.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:

publicado às 20:27



Like box


Mais sobre mim

foto do autor




calendário

Novembro 2014

D S T Q Q S S
1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
30

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D